quinta-feira, 30 de setembro de 2010

QUISERA EU SER!

Quisera eu ser

Quisera eu ser luz
e  então enfrentar a minha escuridão.
Quisera eu ser lenço
e então secar as minhas lágrimas.
Pudera eu ser conhecimento
e então  dar-me o discernimento.
Pudera eu ser calor
e então vencer o frio no meu peito.
Acreditara eu ser mar
e então  enfrentar a dor.
Acreditara eu ser poder
e então ambicionar o seu amor.
Porém,
eu confundi o básico
entre o querer,
o poder,
e o acreditar.
E ainda,
equivoquei-me
quanto à minha condição humana.
Esquecera-me ser ternura
e
apaixonei-me pelo seu olhar.
Esquecera-me ser emoção
e
amei-te loucamente.
Nesta situação
emergencial
restará a ti
uma melhor compreensão
desta minha conotação.





.





5 comentários:

Lucilaine de Fátima disse...

Aplausos para minha amiga poeta! Bju,

Sonia Lima Naves disse...

Oi Lu,
obrigada pelo carinho!

kassiaindia disse...

Sumi, mas logo voltarei. Estou dando um tempo para beijar.........

Daniel Lima disse...

Oi tia Sônia. Mais uma vez, adorei o poema. Continue escrevendo e nos enviando as novidades. Tudo de bom!
Bjos

Sonia Lima Naves disse...

Obrigada pelos comentários carinhosos.

Continuem prestigiando-me!!!!!